Skip to content

Kiss

01/06/2008

Um beijo ter-me-ia matado, não fosse a chuva. Um pressentimento anunciara-me a sua chegada; senti-o, ao longo do tempo. Chamem-me louco, que este louco pode, agora, morrer com o coração encharcado. Já o esperava.
Dá-me a mão, leva-me para a rua, raptemo-nos um ao outro cantando a nossa canção. O meu coração dança-me no peito e eu flutuo no encantamento do beijo. Deixa-me sonhar, com tanta paciência te esperei.
Não chores, não me desfaças o sonho. Deixa a chuva sublimar-nos enquanto a noite acaba e o vento nos envolve. Que maneira de atear o fogo, frio com o dealbar da manhã.


(Se) Não fosse a chuva.

Scout Niblett (Feat. Will Oldham), This Fool Can Die Now, 2007 (e mais uma tradução lateral minha).

2 comentários leave one →
  1. Clarice permalink
    03/06/2008 7:49 pm

    É lindo. Mas do jeito que tem chovido por aqui, mais alguns pingos e eu deixo de achar a chuva romântica.

  2. 04/06/2008 11:34 pm

    Quando a chuva vai escasseando por cá, é tempo de ela assentar por aí. É o ciclo da vida.
    O temporal sempre deu para umas fotos?😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: