Skip to content

Do tempo em que ainda sabia escrever

22/12/2010

Tinha medo de envelhecer. Tinha pressa de viver.
Marcara os cinquenta anos como limite para a viagem. Amava depressa e muito. Muitos também; numa incessante demanda de calor, de aconchego. A ternura e o carinho sendo palavras interditas – embora vividas na intensidade.
Em todos deixava a marca da sua efemeridade, pois era esse o seu rasto no mundo.

26-07-2005

Advertisements
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: